Avançar o conteúdo principal

As coisas começam a acelerar em Itália

Itália

Quantos neurologistas são precisos para ter um tempo “porta a agulha” (tempo decorrido desde a chegada ao início do tratamento) (DTN) de 30 minutos?
 
No caso do Instituto Clínico Città Studi (ICCS) em Milão, esse número mágico é quatro. 
 
Orientados pelo altamente motivado Dr. Carlo Sebastiano Tadeo e apoiados pela Dr. Lara di Toro Mammarella, Dr. Barbara Incorvaia e Dr. Raffaella Russo, o ICCS Stroke Centre deu um passo gigante na melhoria dos cuidados do AVC. 
 
Fundado em 2005, o ICCS Stroke Centre foi concebido com um conjunto de princípios-chave em mente, baseados em padrões fundamentais internacionais, nomeadamente: formação constante da equipa médica e de enfermagem, uma abordagem multidisciplinar, assim como um equilíbrio entre encontrar a causa subjacente a um AVC que ocorre e a prevenção secundária correta dos acontecimentos neurovasculares. 
 
Sendo um dos membros originais do Stroke Centre, o Dr. Tadeo assumiu um compromisso de melhorar continuamente o tratamento do AVC neste hospital, não só padronizando os processos existentes, mas também implementando novas ideias. 

Foi este compromisso, combinado com a sua recetividade e múltiplas colaborações entre o Departamento de Neurologia, Radiologia e Urgência que acabaram por levar a uma mudança drástica na taxa de doentes que recebe terapêuticas de reperfusão no ICCS – aumentando de 6% em 2012 para o número espantoso de 34,4% em 2017. A equipa também aplicou um grande esforço na otimização do percurso intra-hospitalar, o que resultou numa grande redução do Tempo Porta ao tratamento médio de 91 minutos (2014) para apenas 30 minutos.

30 minutos pode parecer normal hoje em dia, mas se tivermos em mente que o tempo Porta ao tratamento na sua região ainda é de 90 minutos, e alguns hospitais têm uma média de cerca 160 minutos, rapidamente se percebe a enormidade dos seus sucessos.  

Como é que isto foi possível? Mais uma vez, a resposta é simples e consiste numa aplicação conjunta de três medidas prioritárias:
  1. Notificação prévia do Sistema de Emergência para o hospital antes de chegar um doente com AVC
  2. Tratar o doente na sala de TC 
  3. Dispositivo no ponto dos cuidados e prioridade da análise ao sangue  

 

 

“A Angels foi essencial na motivação de toda a equipa, para difundir o conhecimento das medidas de prioridade crucial para reduzir o DTN e, por conseguinte, em alcançar os ótimos resultados dos últimos meses, com mais de 90% dos doentes tratados em menos de 45 minutos!”- Dr. Carlo Sebastiano Tadeo


Ainda não satisfeito com estes impressionantes progressos - que incluíram três Certificados do Prémio ESO-Angels, um Gold e dois Platinum, ganhos nos últimos três trimestres. o Dr. Tadeo e toda a equipa da Unidade de AVC estão agora a participar num novo desafio para melhorar ainda mais os prognósticos de saúde dos seus doentes. A equipa de enfermagem da Unidade de AVC, liderada por Sofia Ceruso, decidiu inscrever-se no prestigiado projeto European Quality in Acute Stroke Care (QASC) para implementar protocolos “Febre, Açúcar e Deglutição” na Unidade de AVC.
 
Num país em que as taxas de tratamento são frequentemente bastante altas, mas os prazos de tratamento ainda são muito mais altos do que vemos noutros países, o ICCS serve de grande exemplo de que isso é possível em Itália. 

Powered by Translations.com GlobalLink OneLink Software