Avançar o conteúdo principal

Honrar os enfermeiros

Europa
A Organização Mundial da Saúde (OMS) designou 2020 como o “Ano Internacional do Enfermeiro e da Parteira”, em honra do 200.º aniversário do nascimento de Florence Nightingale.
 
 
Desde a fase pré-hospitalar até à fase pós-aguda, os enfermeiros desempenham um papel-chave na garantia de um percurso ideal para os doentes com AVC.
 
Percebemos a importância dos enfermeiros no tratamento do AVC logo desde o início e, como tal, o kit de ferramentas Angels contém muitos itens específicos para enfermeiros. Na verdade, o primeiro programa de e-learning que lançámos no website foi o programa de e-learning de Certificação de Enfermeiros de AVC. Percebemos que, se queremos oferecer algo de valor aos enfermeiros, tem de estar disponível nos idiomas locais e, desde então, procedemos à tradução desta Certificação para 17 idiomas diferentes. Podemos afirmar com orgulho que, até agora, mais de 9000 enfermeiros em todo o mundo realizaram este curso. 
 
Também lançámos o projeto QASC Europe juntamente com a ESO e o Instituto de Investigação e Enfermagem, que pretende capacitar os enfermeiros, para mostrar que intervenções conduzidas por enfermeiros que demonstraram reduzir a mortalidade podem ser implementadas com sucesso em hospitais europeus. 
 
Mais recentemente, colaborámos com a Nutricia para criar também um programa de e-learning sobre disfagia e nutrição disponível para a nossa comunidade de enfermagem. 
 
Ao longo da Iniciativa Angels, procuramos sempre encontrar formas que possibilitem o desenvolvimento das pessoas, fortalecendo assim a comunidade. Por conseguinte, fomos inspirados pela motivação e paixão demonstradas pelo pessoal de enfermagem em Espanha. Sete enfermeiros de diferentes regiões de Espanha decidiram criar a Sociedade Espanhola de Enfermagem Neurológica (SEDENE) em dezembro de 1993. Queriam, simplesmente, fazer parte de um grupo de pessoas que partilham o mesmo entusiasmo, valores e motivação. Mais de duas décadas depois, a SEDENE tornou-se numa plataforma significativa para a capacitação, transmissão de conhecimentos e coordenação de enfermeiros especialistas no campo da neurologia em Espanha. Ao longo da sua história, a sociedade criou cursos, manuais e guias de enfermagem no campo das neurociências, e colabora ativamente na estratégia do Sistema Nacional de Saúde para o AVC, doenças neurodegenerativas e doenças raras. Também realiza uma conferência anual em colaboração com a Sociedade Espanhola de Neurologia (SEN), onde participam regularmente mais de 300 enfermeiros.
 
 
A necessidade e os benefícios de se dispor de uma sociedade especializada como a SEDENE podem parecer óbvios, contudo, que seja do nosso conhecimento, a SEDENE continua a ser a única sociedade de enfermagem deste tipo, especificamente dedicada ao AVC, na Europa.
 
Em dezembro de 2019, durante um encontro destinado a planear as atividades para 2020, alguns dos nossos Consultores Angels apresentaram uma proposta no sentido de tentar estabelecer uma colaboração internacional entre enfermeiros. Constatámos o valor que os médicos obtêm da partilha de ideias com colegas de outros países ao participarem em conferências e integrarem conselhos diretivos e também gostaríamos de proporcionar aos enfermeiros uma plataforma destinada a promover o crescimento. 
 
Para testar o conceito, foram sugeridos três nomes. Estella San Juan, do Hospital Vall d’Hebron, em Espanha, que também é a coordenadora de grupo da SEDENE; Dra. Antonella Urso, do Departamento de Saúde da Região de Lazio, que também trabalha em coordenação com a Rede Regional de AVC em Itália e uma vencedora do Prémio Espírito de Excelência ESO-Angels em 2018, bem como a Coordenadora do QASC em Portugal, Susana Salselas, da ULS do Nordeste, Unidade Hospitalar de Macedo de Cavaleiros.
 
A ideia era modesta e todas as três concordaram com entusiasmo; vamos ter enfermeiros de vários países reunidos para uma sessão informal durante a Conferência ESO/WSO 2020 em Viena, e ver o que se pode desenvolver a partir daí.  
 
“Entendo que esta ideia representa algo de grande valor neste ano tão especial - o Ano Internacional do Enfermeiro. Dar destaque à importância da partilha entre países, de modo a padronizar os cuidados de enfermagem no AVC na Europa e o benefício que isso pode trazer para Portugal, pois faltam diretrizes formais nacionais para os cuidados de enfermagem no AVC.”- Susana Salselas
 
Resta saber se a pandemia nos permitirá realizar este encontro em novembro. Não obstante, as três enfermeiras decidiram não esperar e já estabeleceram a sua primeira ligação por meios online, conferenciando entre si e com os respetivos Consultores Angels.  
 
 
Embora sendo de natureza exploratória, a curta reunião resultou em muitas ideias promissoras sobre vários tópicos. Rapidamente se tornou óbvio que existe muita coisa que podem aprender apenas entre as três, e o grupo ficou ansioso por aprender ainda mais com países que estão mais avançados e podem proporcionar linhas de orientação a colegas de países que estão menos organizados. 
 
“Considero que é uma grande oportunidade para estar em contacto com outros enfermeiros de toda a Europa, para que possamos partilhar as nossas experiências, ideias, protocolos e modelos que têm resultado nos seus países. Podemos até colaborar no futuro em estudos internacionais, multicêntricos, para poder proporcionar mais evidências para os cuidados de enfermagem no AVC”.– Estella San Juan
 
Tal como sucede com a SEDENE em Espanha, sociedades ou comités nacionais ajudariam imenso a simplificar diretrizes, protocolos e a coordenação de formações e eventos relevantes, para além de criarem um sentido de comunidade com um objetivo comum. Também abririam um caminho mais fácil para os esforços que requerem a colaboração ou coordenação a nível internacional, nomeadamente, as muito cobiçadas diretrizes internacionais para cuidados de enfermagem no AVC.  
 
Certamente que não houve tempo suficiente para se alcançar progressos revolucionários neste primeiro debate. No entanto, o autointitulado Grupo de Trabalho de Enfermagem Angels concordou em focar-se nos seguintes aspetos: 
  1. Estabelecer relações entre enfermeiros Angels a nível nacional e internacional 
  2. Estabelecer uma plataforma de comunicação online para partilha de recursos e debates informais entre enfermeiros Angels
  3. Promover a partilha de experiências e de boas práticas, por exemplo, por meio de webinars
  4. Defender melhorias em grande escala, como formações avançadas ou diretrizes padronizadas para enfermeiros de AVC

“Estou muito entusiasmada, pois esta iniciativa representa uma grande oportunidade para os enfermeiros, tanto no que se refere à melhoria das práticas de enfermagem junto dos doentes afetados pelo AVC, como no que se refere à otimização do papel dos enfermeiros na equipa de cuidados.” – Antonella Urso

Trata-se de um início humilde, mas a avaliar pela história da SEDENE, poderemos estar a presenciar o início de uma história de sucesso muito importante para os enfermeiros de AVC em todo o lado. 
 
Powered by Translations.com GlobalLink OneLink Software