Avançar o conteúdo principal

A história da Arménia

Arménia

Localizada num cruzamento entre a Europa e a Ásia, a Arménia é um país interior rico em beleza, cultura e história. A sua cidade capital, Yerevan, é também conhecida como “Cidade rosa” devido à pedra vulcânica rosada que foi usada para construir muitos dos edifícios da cidade. Também é considerada uma das mais antigas cidades habitadas do mundo, tendo sido construída 29 anos antes de Roma. De acordo com as mais recentes estimativas, perto de um terço da população do país, 3 milhões de pessoas, vive em Yerevan.

A Arménia começou a realizar terapêutica de recanalização para doentes com AVC em 2012. No entanto, só um hospital em todo o país oferecia este tratamento, e apenas 4 a 5 doentes eram tratados por ano.

Em 2014, foi estabelecida uma colaboração próxima com neurologistas de AVC da Diáspora Arménia baseados nos EUA, Canadá e Europa. Esta cooperação frutífera resultou em várias formações para neurologistas de AVC e na adoção dos protocolos de AVC canadianos. Em 2016, a Armenian Neurological Association (Associação de Neurologia Arménia) começou a trabalhar com a ESO e aderiu ao projeto ESO-EAST e ao registo RES-Q.

Pelo caminho, também descobriram a Angels e iniciaram contacto connosco. Na altura, não tínhamos um consultor para a Arménia, mas conseguimos acomodar alguns dos seus delegados para participarem no programa de simulação de AVC no Centro de Simulação de AVC em Brno, na República Checa.

As coisas começaram a acelerar em 2018, quando o governo decidiu criar formalmente um programa de AVC agudo. Após longos anos de educação e trabalho, com um protocolo sólido, conhecimento e confiança, o programa nacional de AVC foi lançado em dois hospitais em Yerevan: o Erebouni Medical Center e o Hospital da Yerevan State Medical University em fevereiro de 2019.

Os resultados de fevereiro a outubro de 2019 ultrapassaram todas as expetativas:

Erebouni Medical Center

  • Doentes com AVC agudo hospitalizados: 1317
  • Recanalizações: 255
  • DTNT médio: 48 minutos

 Yerevan State Medical University

  • Doentes com AVC agudo hospitalizados: 62
  • Recanalizações: 41
  • DTNT médio: 70 minutos

Desejosos de melhorar ainda mais e procurando expandir o programa de AVC agudo a outros hospitais, contactaram a Angels para ver se havia outras oportunidades de formação. Isto fez com que vários outros delegados arménios assistissem ao programa de simulação de AVC na República Checa, além dos workshops Angels Train the Trainer, na Alemanha.

Lev Prystupiuk, um Consultor Angels responsável por novos países europeus, visitou os dois hospitais em finais de outubro e ficou impressionado com o bom desempenho das suas equipas de AVC durante as duas simulações que foram realizadas. “Foi como se já tratassem doentes com AVC há vários anos, e não apenas há meses”, afirmou.

Após as simulações e os workshops, ambos os hospitais concordaram em participar no projeto QASC, que se inicia em novembro, para melhorar os seus cuidados pós-agudos. Também se comprometeram em iniciar a monitorização de qualidade usando o RES-Q de forma mais regular. Além disso, mais discussões com o coordenador nacional resultaram em concordância em desenvolver um curso de educação de enfermagem baseado no curso de certificação de enfermagem online Angels.

É raro testemunhar uma progressão tão rápida a nível nacional, e estamos extremamente orgulhosos pela oportunidade de participar na reforma da Arménia nos cuidados do AVC. Histórias como estas são a melhor prova de que com motivação suficiente, tudo se pode alcançar. Continuaremos a fazer o que for preciso para apoiar os objetivos da comunidade Angels na Arménia: desenvolver mais 2 centros de AVC em Yerevan e mais quatro em toda a Arménia.

Powered by Translations.com GlobalLink OneLink Software