SIMULAÇÃO HIPERAGUDA

As evidências comprovam que os hospitais que usam formação dos doentes de simulação, também denominadas simulações com doentes fictícios, melhoraram significativamente o seu desempenho a longo prazo por melhorarem o seu tempo da porta ao tratamento.


Formação de simulação composta por duas partes. Parte 1: A equipa de acidente vascular cerebral no hospital atribui um doente simulado e é-lhe pedido que receba e trate o doente simulado da mesma forma que o faria em doentes de AVC reais. Parte 2: O hospital deve avaliar a primeira parte e tomar nota de todas as melhorias e alterações que possa tomar a aperfeiçoar o processo e reduzir o tempo desde a porta até ao tratamento. Quando esta avaliação estiver concluída, o hospital deve repetir a simulação e implementar as alterações que anotaram. 

Ao concluir as Partes 1 e 2, o hospital deve avaliar que melhorias podem ser implementadas para o percurso de tratamento quotidiano para otimizar a qualidade dos cuidados de AVC. 

APRESENTAÇÃO DA SIMULAÇÃO

A apresentação de simulação serve de orientação para pontos de melhoria para otimizar o percurso.

VÍDEOS DE APRESENTAÇÃO DA SIMULAÇÃO

Descarregue estes vídeos e insira-os na apresentação de Simulação para melhorar as discussões.

DOCUMENTOS DO PLANO DE AÇÃO

Usar o documento plano de ação para tomar nota das melhorias e medidas de correção, que podem ser tomadas para otimizar o percurso e melhorar a qualidade dos cuidados de AVC dentro do hospital.

EXEMPLO DE SIMULAÇÃO DE DOENTE

Veja os vídeos abaixo para ver o impacto que implementar as 4 ações chave pode ter sobre o tempo porta a terapêutica.